Saúde

Ao encontrar HUGV com mais de 200 leitos ociosos por falta de pessoal, Zé Ricardo cobra a convocação dos aprovados no último concurso

            Em recente visita e fiscalização ao Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), o deputado federal Zé Ricardo (PT/AM) encontrou várias enfermarias fechadas, bem como as alas de pediatria e de cardiologia, essa última com dois aparelhos de hemodinâmica desativados, tornando-se ainda mais grave pelo fato do Estado possuir apenas uma máquina de hemodinâmica funcionando na rede SUS, para atendimento a toda população do Amazonas. Hoje, o Hospital dispõe de 300 leitos, porém, menos de um terço (70) está ocupado com pacientes, por falta de pessoal e até de insumos.

            Essa preocupante situação foi denunciada pelo deputado na tribuna da Câmara Federal desta quarta-feira (6), cobrando que a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), administradora do HUGV, convoque os aprovados no último concurso da unidade hospitalar, realizado em 2019. Ele também enviou ofício cobrando formalmente essa empresa, como ainda a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais do Ministério da Economia, responsável pelo redimensionamento do hospital.

“Um hospital desse tamanho não pode ficar ocioso, enquanto a população está sofrendo e morrendo por falta de qualidade no atendimento do SUS. Foi todo reformado e ampliado na época do Haddad, no Governo do PT. Então, é urgente realizar o redimensionamento desta unidade, sobretudo, na ampliação do quadro de pessoal. E chamar os aprovados no concurso. São quase 900 profissionais habilitados na área da saúde, na enfermagem, profissionais da área administrativa, assistencial, para atuar nesse hospital tão importante ao Estado do Amazonas”, declarou Zé Ricardo.

O Hospital Universitário Getúlio Vargas foi reinaugurado em 2020, para atender a população do Amazonas e da região Norte, com uma estrutura completa e complexa, como a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Centros Cirúrgicos, Central de Material e Esterilização, quatro andares de Enfermaria, garagens e heliponto. Além de um Centro de Imagem com aparelhos de endoscopia digestiva alta, colonoscopia, broncoscopia, equipamentos para ressonâncias magnéticas, tomografias computadorizadas, ultrassonografias, mamografias e aparelhos de raio-X, como ainda possui um parque de imagens com equipamentos renovados, sendo o mais completo da região Norte. “Mas não consegue atender de forma completa a população, se comparado ao tamanho de sua estrutura. Vamos cobrar para reverter essa preocupante realidade”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.