Assistência Social

Câmara aprova R$ 450 milhões para as vítimas das enchentes, e Zé Ricardo cobra prioridade para o Amazonas

      A Câmara Federal arpovou nesta terça-feira (15) a MP 1030/2021 que abre crédito extraordinário de R$ 450 milhões ao Governo Federal para socorro a municípios brasileiros atingidos por chuvas. Com voto favorável do deputado federal Zé Ricardo (PT/AM), ele informou no plenário de hoje que está encaminhando Indicação e ofício ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), para que destine parte desses recursos para ajudar as vítimas das enchentes no Amazonas.

Manaus e muitos municípios do Estado passam pela maior enchente da história, que afetou a produção e a vida das pessoas, e alagou diversas cidades em plena pandemia. O nível do rio Nego já chegou hoje a 30,02 metros, acima do nível do mar, a maior marca desde o início dos registros, em 1902. Para o deputado, esses recursos precisam ser usados o quanto antes para as vítimas das chuvas e também das enchentes.

“Desde fevereiro deste ano, essa MP está valendo e o Governo gastou muito pouco, cerca de 12% desses R$ 450 milhões, para essa finalidade. No Amazonas, temos milhares de vítimas das cheias dos rios, que estão necessitadas de alimentação, de abrigos ou alojamentos. A situação é grave, como ainda não tinha acontecido em 119 anos”, declarou ele, cobrando que esses recursos sejam usados em ações da Defesa Civil e assistência aos desabrigados.

Mais postos de vacinação contra a Covid

No último final de semana, Manaus passou por um mutirão para vacinar pessoas acima de 40 anos contra a Covid-19. Com uma meta de alcançar 214 mil pessoas, cerca de 140 mil pessoas foram, realmente, vacinadas, sobrando mais de 70 mil doses e atingido cerca 65% do planejado.

Zé Ricardo cobrou em plenário que é preciso acelerar essa campanha de imunização e utilizar as doses disponíveis, propondo a abertura de mais postos de vacinação, seja em terminais de ônibus, nas fábricas do Distrito Industrial e junto à população ribeirinha, além de manter as vacinas nas UBS e casinhas da saúde. Para isso, Prefeitura e Governo poderiam também fazer parceria com os acadêmicos de Enfermagem, além dos alunos de Medicina e outras áreas da saúde, que podem ser voluntários para ajudarem na vacinação, em troca de horas complementares.

“A vacinação no Amazonas continua lenta e é urgente aumentar o número de vacinados para conter essa pandemia, que ainda não acabou. Pelo contrário, os especialistas continuam alertando para uma terceira onda. No Estado, já temos mais de 13 mil mortes e o número de contaminados é crescente. Continuaremos cobrando vacinação para todos e todas já”, finalizou o parlamentar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.