Sem categoria

Em reunião virtual, Jose Ricardo e profissionais da Assistência Social falam dos desafios e dos problemas enfrentados pela categoria no Amazonas

[10:49, 17/05/2020] Jane Jornalista: Fazer com que a população pobre do país tenha acesso à políticas sociais de qualidade, como também valorizar e proporcionar melhores condições de trabalho aos profissionais da Assistência Social, foram as principais pautas do debate virtual organizado pelo deputado federal José Ricardo (PT), realizado neste sábado (16), semana em que se comemora o Dia da Assistência Social. O objetivo da reunião, que contou com representações da categoria no estado do Amazonas e teve como tema: “Valorização e Condições de Trabalho dos Assistentes Sociais”, foi ouvir as demandas da categoria, além de homena…
[10:50, 17/05/2020] Jane Jornalista: Em reunião virtual, Jose Ricardo e profissionais da Assistência Social falam dos desafios e dos problemas enfrentados pela categoria no Amazonas
Manaus, 17 de maio de 2020

Fazer com que a população pobre do país tenha acesso à políticas sociais de qualidade, como também valorizar e proporcionar melhores condições de trabalho aos profissionais da Assistência Social, foram as principais pautas do debate virtual organizado pelo deputado federal José Ricardo (PT), realizado neste sábado (16), semana em que se comemora o Dia da Assistência Social. O objetivo da reunião, que contou com representações da categoria no estado do Amazonas e teve como tema: “Valorização e Condições de Trabalho dos Assistentes Sociais”, foi ouvir as demandas da categoria, além de homenagear e parabenizar os profissionais da área pela passagem da data comemorativa. Dentre as reivindicações, os assistentes sociais cobram melhores condições de trabalho, principalmente neste período de pandemia da covid-19, uma ampliação dos recursos do cofinanciamento das políticas de assistência social e mais valorização salarial para categoria. Além de cobrar do Governo Federal políticas públicas de assistência social para população mais pobre do país.

Para, José Ricardo, que é autor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que obriga a contratação de assistentes sociais nas escolas públicas e privadas dos Estados, Municípios e do Distrito Federal, o debate é fundamental, porque nesse momento em que o país enfrenta uma pandemia e seus impactos é preciso fortalecer a organização dos assistentes sociais e a luta por valorização da categoria, apesar de ser um grande desafio, em função da falta de políticas sociais do Governo Bolsonaro. “A Assistência Social é importante para que a população tenha acesso aos serviços de saúde, assistência e previdência social, além de benefícios eventuais que são essenciais para a manutenção da vida. Por isso, esse dia não é somente de comemoração, mas principalmente de reflexão acerca da luta desses trabalhadores pelo fortalecimento da área, por mais valorização dos profissionais e por políticas públicas de assistência social, principalmente agora, diante de uma grave crise sanitária. Assistência social não é assistencialismo é um direito”, disse o parlamentar informando que as reivindicações e as denúncias apontadas no debate serão encaminhadas aos órgãos competentes e ele continuará cobrando resolução das demandas.

De acordo com a representante do Sindicato de Assistentes Sociais do Estado do Amazonas (Saseam), Ana Paula Soares, assim como várias outras categorias, a Assistência Social vem sendo atingida gravemente desde 2017, ficando ainda pior com as políticas de desmonte do atual Governo Federal. “É urgente e necessário a revogação da Emenda Constitucional (EC) 95, que limita o teto dos gastos com como direitos sociais, entre outros, a educação, a saúde, a segurança, a previdência e a assistência social. “Nossa luta, tanto no âmbito federal como estadual e em espaços de negociações é por essa revogação. Como também pela defesa da seguridade social pela ampliação do financiamento público do SUS; criação da lei de responsabilidade social; revogação da DRU, entre outras. Mas principalmente por mais políticas de assistência social para aqueles que mais precisam”, disse.

A presidenta dos Gestores de Colegiados da Assistência Social do Amazonas, Eldilene Alves, destacou que sem financiamento não existe uma política pública de fortalecimento da, principalmente agora no momento m que a população mais pobre do pais necessita por conta os impactos da pandemia. “Não existe um trabalhador da área que esteja em uma situação confortável neste momento. Então a nossa reivindicação aqui enquanto assistente social e enquanto trabalhadores do SUAS é uma política de fortalecimento da assistência social no estado. Se a gente não tiver o financiamento então isso tem fragilizado.

Já Lucijane Almeida, representante do Fórum Estadual dos Trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social do Estado (FETSUAS-AM), disse que as condições de trabalho dos assistentes sociais é lamentável e se agravaram nesse processo de pandemia, o que vem refletindo na sociedade. E disparou relatando que falta Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) aos profissionais do serviço social que atuam nos hospitais, mas falta, principalmente, recursos para atender aos mais pobres. “Nossas lutas sempre foram as mesmas, mas agora piorou nesse processo de pandemia de Covid – 19, como: assédio moral aos trabalhadores; a falta de cuidado com saúde dos assistentes sociais e o desrespeito à categoria, principalmente com os da área da saúde, que estão num processo de muita responsabilidade com a vida do outro, nessa pandemia. Estamos vendo os discursos daqueles que estão contra as medidas de proteção contra a doença e que defendem a reabertura do comércio, sob a justificativa de que as pessoas vão morrer de fome, mas há muitos e muitos anos que as pessoas estão morrendo de fome nesse país. E é por isso que elas precisam das políticas de assistência”, concluiu.

Participaram do evento, representante do departamento de Serviço Social da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), da Rede Um Grito Pela Vida, do Centro de Convivência da Pessoa Idosa de Iranduba, do Departamento de Proteção Social Especial do Seas, do Fórum Estadual dos Trabalhadores do SUAS, do Serviço Amazônico de Ação, Reflexão e Educação Socioambiental (Sares), do Conselho Estadual de Assistência Social (Ceas/Am), da Executiva Nacional dos Estudantes de Serviço Social (Enesso/Am), dentre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *