Educação

Minha Opinião sobre denúncias de que o ministro da Educação estaria favorecendo pastores com liberação de recursos federais para obras em prefeituras

Tem que ser apurado essas denúncias, de que o ministro da Educação está favorecendo pastores em relação à liberação de emendas, em detrimento a um procedimento que deveria ser uma regra clara e transparente. Como é o caso das indicações de emendas que todos os parlamentares têm direito. Cada vez mais, é preciso dar detalhamento de todas essas emendas. Hoje, o governo até instituiu emendas secretas, o chamado Orçamento Secreto. Mas nada pode ser secreto. A Constituição Federal fala que tem que haver prestação de contas e é o que eu faço, cobrando sempre prestação das emendas indicadas. E não são os pastores, os padres, não é a igreja a responsável, não é o papel dela. O papel é dos políticos, dos governantes, dos prefeitos, dos governadores, de cuidar da gestão da administração dos recursos públicos. Por isso, defendo que o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério Público Federal (MPF) devem apurar essa denúncia. Ao mesmo tempo,  cobrar transparência, sobretudo, no uso dos recursos públicos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.