Saúde

MP SERÁ ACIONADO POR PRECARIEDADE DA SAÚDE NO AMAZONAS

Durante pronunciamento no Plenário da Câmara Federal nesta terça-feira (17), o deputado federal José Ricardo (PT/AM), denunciou a situação precária do sistema de saúde do Amazonas. O parlamentar disse ainda que entrará com mais uma representação junto ao Ministério Público do Estado (MPE) para que o órgão tome providências quanto à falta de profissionais, de infraestrutura e ao cumprimento do pagamento em atrasos dos trabalhadores terceirizados.

O deputado lembrou ainda dos recentes protestos e paralisações realizados por servidores da área da saúde do Amazonas, questionando a falta de recebimento dos seus direitos trabalhistas e os atrasos nos pagamentos dos salários, situação que reflete diretamente no atendimento à população.

“A maioria dos trabalhadores das unidades de saúde é de empresa terceirizada. É a terceirização prejudicando a saúde do Estado do Amazonas. Os trabalhadores estão lutando pelo que são seus de direito. São as empresas contratadas que não cumprem sua parte. É uma injustiça qualquer pessoa trabalhar sem receber seu pagamento”

disse José Ricardo.

Paralisações na saúde do Amazonas

José Ricardo citou ainda a paralisação de 50 enfermeiros e técnicos de enfermagem da Maternidade Ana Braga por atraso nos salários, ocorrida no dia 11 de dezembro e, e por conta disso, o Conselho Regional de Enfermagem entrou na Justiça com Mandado de Segurança para que a Secretaria de Saúde restabelecesse os serviços.

Assim como na Ana Braga, outras unidades de saúde, como Hospital João Lúcio, Hospital 28 de Agosto, Instituto da Mulher e Hospital Francisca Mendes, segundo José Ricardo, sofrem com o mesmo problema. Ainda de acordo com o deputado os profissionais não estão aguentando mais, porque a situação de desvalorização das empresas terceirizadas para com os trabalhadores está insustentável, impedindo, inclusive, que os trabalhadores tenham recursos para o deslocamento até seu local de trabalho, além das costumeiras ameaças de demissão.

“Há anos, que defendo uma auditoria nos contratos das empresas terceirizadas. Mudou o governador e não melhorou o serviço de saúde do Estado. Eram mais de 800 contratos e boa parte ainda continua. Defendo que tenha concurso público e que haja mais valorização dos profissionais”

destacou.

O parlamentar além de cobrar a responsabilidade do Governo do Estado, também cobrou providências do Governo Federal pela atual situação da saúde no Amazonas, uma vez que o presidente não promoveu investimentos na área da saúde nos estados brasileiros e não atendeu à solicitação do parlamentar desde o início do ano, para que a União, por meio do Ministério da Saúde, socorresse financeiramente, naquele momento, a saúde do Amazonas, que é uma política fundamental e essencial à vida humana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.