Amazônia Moradia

Movimento de Mulheres por Moradia Orquídea de Manaus recebe Prêmio Lúcio Costa, por indicação de Zé Ricardo

Em reconhecimento a entidades e personalidades que tenham realizado ações, programas ou trabalhos nas áreas da mobilidade, saneamento e habitação, ajudando melhorar a vida dos cidadãos nos municípios brasileiros, foi realizado na manhã desta quarta-feira (17) o Prêmio Lúcio Costa, organizado e idealizado pela Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU), da Câmara Federal. Dentre os agraciados com a premiação, por indicação do deputado federal Zé Ricardo (PT/AM), na área de habitação/entidades, está o Movimento de Mulheres por Moradia Orquídea (MMMO), de Manaus, sob a coordenação de Cristiane Sales, professora e liderança de movimento em moradia popular.

Zé Ricardo destacou que a Comissão de Desenvolvimento Urbano, da qual integra desde 2019, trata de três temas de extrema relevância para o país: mobilidade, saneamento e habitação. “E essa premiação é um momento de homenagear a pessoas e entidades que se dedicam nessas áreas e que ajudam a mudar a vida das pessoas, por meio de ações e projetos. O país precisa de políticas de habitação popular, como o Minha Casa Minha Vida, que o Governo Bolsonaro acabou, mas que olhava para os mais pobres. Por isso, temos que destacar e homenagear os bons exemplos que existem pelo país, como o Movimento Orquídea, de Manaus, entidade de mulheres de baixa renda, coordenada por Cristiane Sales, na luta para a construção de casas populares”.

O Movimento de Mulheres por Moradia Orquídea foi constituído no ano de 2002 como uma organização sem fins lucrativos, que encampou a luta pelo direito à moradia digna e pela igualdade nas relações de gênero. Mas suas lutas se intensificaram a partir de 2009, quando passou a vigorar o Programa Federal Minha Casa, Minha Vida(MCMV) para entidades, no Governo do Partido dos Trabalhadores. A partir dessa data, a instituição passa a ser proponente de empreendimentos habitacionais de interesse social, sob a coordenação de Cristiane Sales, conforme previsto na Constituição Federal. Após muitos entraves, a entidade habilitou-se junto ao Ministério das Cidades e assim conseguiu construir 600 moradias para famílias que ainda não tinham casa própria. “Exemplo único que temos em Manaus, sendo a sétima maior cidade do Brasil. E merecida premiação, mostrando a força dos movimentos e das mulheres amazônidas”, completou o deputado.

Em sua fala de agradecimento à premiação, de forma virtual, Cristiane Sales ressaltou que estava em Manaus, falando de dentro de uma residência do Movimento Orquídea, na casa da dona Francisca, mãe de 11 filhos, e que até conquistar sua casa própria morou em casa alugada e em ocupações, tendo sofrido até despejo. “Quero agradecer a Deus e aos parlamentares que aprovaram a nossa indicação, em especial, ao deputado Zé Ricardo. Estamos falando do nosso lugar de fala, onde quase 600 famílias tiveram o privilégio à moradia digna. Nosso movimento orgulha-se de atender, sobretudo, mulheres, mas também às pessoas com deficiência, indígenas, negros, além de defender a pauta da educação e da habitação, direitos básicos e constitucionais, mas negligenciados pelo atual Governo brasileiro”.

Também receberam o Prêmio Lúcio Costa, lançado pela CDU em 2015, como personalidade na área da habitação, Jorge Fontes Hereda, “in memoriam”. Já na área de saneamento, a indicação da entidade foi para o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos do Rio Grande do Sul (Sindiágua-RS); e como personalidade na área, Edson Aparecido da Silva, indicações com os parlamentares do Partido dos Trabalhadores. Já como personalidade na área de mobilidade, Mirela Prosdócimo, lutadora em defesa das pessoas com deficiência em Curitiba e que coordenou o Plano Municipal de Acessibilidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *