Coronavírus Opinião Saúde

NEGLIGÊNCIA, INCOMPETÊNCIA E O NEGACIONISMO LEVAM À EXPLOSÃO DE CIDADÃOS AMAZONENSES MORTOS

No Amazonas, estamos assistindo estupefato a explosão de mortos se repetir devido à negligência, incompetência, insensatez e ao negacionismo dos que têm responsabilidades executivas no combate à pandemia do Coronavírus.

No último trimestre de 2020, epidemiologistas e estudiosos já haviam avisado sobre uma segunda onda de contaminação, recomendavam medidas emergenciais em Manaus, município que concentra metade da população de todo o estado com enorme potencial de irradiação da doença para outros municípios.

Dados da FVS mostraram a curva de crescimento. Somente nos nove primeiros dias de janeiro foram contabilizadas um total de 1.524 novas internações por Covid-19. O número já supera o total de hospitalizações registradas durante todo o mês de dezembro do ano passado, quando 1.371 pessoas foram internadas com a doença.

A cidade vive uma segunda onda da enfermidade, com aumento expressivo de casos, superlotação de hospitais e cemitérios. Até o sábado(9), mais de 212 mil pessoas foram infectadas pelo novo Coronavírus em todo o Amazonas, e mais de 5,6 mil já morreram em decorrência da doença.

Durante este último domingo (10), Manaus bateu o recorde de 144 sepultamentos. Por falta de previsibilidade, incompetência na gestão da saúde, deixou-se de ativar os hospitais de campanha, preparar o hospital de referência pra utilização de sua capacidade máxima, o que não acontece neste momento e muito outras ações de governo que deveriam estar em operação desde dezembro, pois essa segunda onda chegaria mais cedo ou mais tarde, como apontou pesquisas, estudos e a própria experiência de outros lugares.

A sociedade esta indignada vendo cada dia morrer um parente, um amigo, um colega de trabalho. Os profissionais da saúde que atuam na linha de frente estão morrendo ou estão esgotados com depressão e sobrecargas de trabalho. As filas nos hospitais são intermináveis, não há vagas em UTI’s e a população começa a morrer em casa, nas ruas ou nas portas das unidades de saúde.

Tudo isso acontecendo e não estamos vendo avanços efetivos em ações governamentais para conter o caos instalado na saúde do Estado e salvar vidas de concidadãos Amazonenses.

Por esse motivo, venho aqui manifestar minha indignação, que é a mesma da sociedade amazonense, e exigir de uma vez por todas que os governos, federal, estadual e municipal construam respostas efetivas, tanto no que diz respeito recursos financeiros, a leitos de hospitais e no tratamento intensivo aos doentes. Como também a garantia de vacina imunizadora universal e gratuita, para salvar vidas, sob pena de serem coniventes com o genocídio do nosso povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *