Emprego Meio Ambiente e Sustentabilidade

Nossa opinião sobre o Projeto que legaliza bingos e cassinos no Brasil

Quero me manifestar contrário ao Projeto de Lei no 442/91, que teve o texto-base aprovado ontem, na Câmara Federal, e que legaliza os jogos no Brasil, como cassinos, bingos, jogo do bicho e jogos on-line, mediante licenças em caráter permanente ou por prazo determinado. Há um discurso falacioso, diria até mentiroso, de quem defende a liberação dos jogos de azar, dizendo que vai gerar arrecadação pública nessa atividade, com mais empregos formais, fazendo com que os brasileiros deixem de gastar no exterior para gastar no país. Não há nenhuma comprovação disso.

Mas o certo é que não há uma estrutura de controle público, para evitar a lavagem de dinheiro, o que acaba acontecendo em muitos lugares. Temos também a questão das loterias da Caixa Econômica Federal, que detêm um monopólio, mas com uma garantia de que os recursos vão para o esporte, para o Fies e uma série de finalidades definidas em lei. E existe também a preocupação com relação aos impactos ambientais, diante da implantação de cassinos em resorts, em áreas ambientais e de preservação. Por isso, que, neste momento, para se gerar emprego no Brasil, não serão os cassinos e os bingos que irão trazer respostas. Pelo contrário, vai agravar a situação, até de saúde mental, por conta da dependência que os jogos que azar, quase sempre, causa na vida das pessoas que frequentam esses locais. Portanto, uma proposta aprovada ‘a toque de caixa’ e que teve meu voto contrário.

Neste momento tão dramático do Brasil, a prioridade e a urgência do Governo deveria ser em gerar empregos, por meio de atividades, como da construção civil. Urgente também é aprovar a Lei Paulo Gustavo, que está na pauta de hoje. Um projeto, com a relatoria do Partido dos Trabalhadores, para garantir recursos ao setor cultural. São mais de 5 milhões de trabalhadores desta área, tão afetada nesta pandemia, e que agora tem a possibilidade de ter um apoio de mais de R$ 3,8 bilhões. Só para o Amazonas, estão previstos R$ 86 milhões. Além disso, tem a polícia nacional com a Lei Aldir Blanc, de fomento à cultura. Isso é prioridade, com possibilidades de se criar renda e mais recursos para tantas famílias que hoje estão sem nada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.