Povos Indígenas

Nota contra o Marco Temporal

“Sou contrário ao Marco Temporal. A expectativa é que o Supremo mantenha o direito dos povos indígenas. Poderemos ter muitos conflitos, caso se confirme o Marco Temporal. Tem muitas terras ainda não definidas. Muitos indígenas vivendo isolados na Amazônia e no Estado do Amazonas, sobretudo, na região de Atalaia do Norte, na fronteira com o Peru. Em vários municípios, têm indígenas dependendo dessas terras, inclusive, na questão produtiva, no cuidado com os lagos e em projetos de geração de renda. Seria um grande retrocesso se o Supremo ficasse do lado dos interesses econômicos e financeiros, já que são eles que estão pressionando. Demarcar e confirmar essas terras aos indígenas não inviabiliza economicamente o Estado. Pelo contrário, valoriza e fortalece a possibilidade de fazer mais parcerias, com atividades econômicas dentro do que preconiza a Constituição Federal, como ainda fortalecendo atividades ligadas ao turismo, à produção de artesanato, uma vez definidas essas terras. Portanto, estamos nesta luta, em defesa dos povos indígenas, contra os projetos que estão em tramitação no Congresso Nacional e que retiraram o direito desses povos originários e contra o Marco Temporal”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *