Economia infraestrutura Saneamento Básico

Nota contra o reajusta da água

Sou contra mais um reajuste nas contas de água e esgoto em Manaus. A empresa Águas de Manaus, que não cumpre todas as metas do contrato com a cidade, tentou reajustar a tarifa em 24,52%, quase três vezes mais do que o atual índice de inflação. Mas está impedida, desde a noite de ontem (31), por conta de liminar da Justiça Estadual, justificando que o reajuste é ‘exorbitante’, ‘impróprio e excessivamente oneroso aos consumidores’. Concordo. O sistema de água e esgoto na cidade está privatizado há quase 21 anos e a população continua insatisfeita. Com essa realidade, pensar em reajuste é algo inaceitável, sobretudo, diante do quadro econômico atual, de desemprego e da queda do poder aquisitivo da população. Já é um absurdo o aumento quase que semanal da energia elétrica, como também do combustível e do gás de cozinha.

Em agosto, já havia cobrado do Governo do Estado e da Prefeitura de Manaus um posicionamento sobre o assunto. A empresa apresenta lucro e não atende a população. Nos últimos dois anos, a Águas de Manaus teve uma receita bruta de R$ 1,5 bilhão, com crescimento da sua lucratividade. Porém, somente 15 áreas da cidade, de um total de 187 oficiais, têm serviços de esgoto.

Por isso, também apoio as reações da sociedade civil e também da Câmara Municipal de Manaus, por meio dos vereadores Sassá (PT) e Rodrigo Guedes (PSC) e de outros parlamentares, propondo CPI para investigar esse contrato de concessão e o cumprimento das metas da empresa para o abastecimento de água e esgoto em Manaus.

Não podemos aceitar que a população mais pobre continue sofrendo com essa situação, causada pelo Governo Bolsonaro, e agora com ameaça de novo reajuste da água. Espero que a empresa não reverta essa liminar e cumpra seu contrato. Estamos juntos nesta luta!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.