Cultura

O RESGATE DA CULTURA REGIONAL

O Governo Federal é anti-cultura: extinguiu o Ministério da Cultura e desmontou praticamente toda a estrutura pública de financiamento cultural. Talvez seja o que o poeta amazonense Dori Carvalho falou para todos nós: ‘eles são inimigos da cultura, eles têm medo de quem faz cultura’. Felizmente, a cultura não depende só do Governo Federal. O Governo Estadual e a Prefeitura também têm responsabilidades com o setor.

No caso da Prefeitura de Manaus, temos que melhorar as políticas culturais para a população e proporcionar aos trabalhadores e trabalhadoras do setor condições dignas para que possam viver profissionalmente da cultura. Foi com esses objetivos que nos reunimos virtualmente com trabalhadores e trabalhadoras, especialistas, estudantes e professores da cultura para, juntos, traçarmos o diagnóstico do setor e pensarmos propostas para o nosso Plano de Governo para Manaus (2021-2024).

Manaus é uma das capitais brasileiras com a maior diversidade cultural do país. A influência dos povos indígenas está presente na música regional, nas artes plásticas, no artesanato, nas comidas típicas, nas crenças e religião e manifestações folclóricas. Mas tudo isso está prejudicado com a falta de incentivos e de ações municipais, apesar de ser um dos setores que mais gera emprego e renda no país.

É preciso que a Lei Municipal de Incentivo à Cultura funcione de fato; que se regulamente o Fundo Municipal de Cultura, e se reestruture o Conselho Municipal de Cultura. É preciso ainda que se apliquem com transparência os recursos da recém-aprovada Lei Aldir Blanc (serão R$ 16 milhões somente para Manaus), para financiar projetos culturais e para auxílio emergencial aos artistas, que tanto estão necessitando. Como uma gestão popular na Prefeitura, agiremos levando cultura para os bairros, com pequenas associações e festivas, resgatando toda a diversidade regional”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *