Amazônia Povos Indígenas

Zé Ricardo cobra instalação de Comissão Externa da Câmara para acompanhar caso do desaparecimento do indigenista e do jornalista inglês no Vale do Javari

            Na tribuna da Câmara Federal, o deputado Zé Ricardo (PT/AM) cobrou que a Mesa Diretora aprove requerimento para a instalação de Comissão Temporária Externa para acompanhar o caso do desaparecimento do indigenista da Funai, Bruno Pereira, e do jornalista do The Guardian, Dom Phillips, no último domingo, na região do Vale do Javari/Amazonas. Ele subscreveu essa proposta, do líder do PT na Casa, deputado Reginaldo Lopes, juntamente com a bancada do Partido dos Trabalhadores.

            “É muito importante uma Comissão Externa para acompanhar in loco as investigações em relação ao desaparecimento dessas duas pessoas. Também continuamos cobrando que o Governo Federal e do Amazonas intensifiquem as ações de buscas. Sabemos que a área é perigosa e de difícil acesso, conforme confirmou a Superintendência da PF. Há muitas denúncias de ameaças a indígenas, indigenistas e à própria Funai. Lideranças da Univaja (União dos Povos Indígenas do Vale do Javari) também cobram a intensificação das buscas, que finalmente começaram a atuar com a ajuda de aeronaves e até de helicópteros da Marinha e Aeronáutica”, criticou o deputado, que participou esses dias do Ato-Vigília, em Brasília, organizado pela Funai, cobrando ações urgentes nas buscas aos desaparecidos.

Esta semana, Zé Ricardo encaminhou documentos e vinha cobrando do Ministério da Justiça e Segurança Pública, do Ministério da Defesa e da Polícia Federal investigação e apuração desse caso, juntamente com a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas, da qual é vice-coordenador. Para ele, é nítido o abandono da Amazônia por parte do Estado e do Governo Federal, com Funai sucateada, pequena estrutura da Polícia Federal em relação ao tamanho da Amazônia, além da Base Anzol funcionar de forma precária, para o enfrentamento, sobretudo, de atividades ilícitas nas áreas indígenas, que vem prejudicando pescadores e ribeirinhos daquela região.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.