Assistência Social Cidadania Educação

Zé Ricardo destaca “Setembro Amarelo” e cobra políticas de prevenção ao suicídio, com psicólogos nas escolas

            Em discurso no plenário da Câmara Federal dessa quarta-feira (15), o deputado Zé Ricardo (PT/AM) destacou a Campanha “Setembro Amarelo”, no mês de combate ao suicídio. Uma importante ação como muitas que, segundo ele, não são levadas a sério pelos Governos Federal, Estadual ou pela Prefeitura. Por isso, cobrou políticas públicas efetivas, com campanhas de prevenção permanentes para evitar milhares mortes no Brasil e no Amazonas, além de mais investimentos nas escolas, com a contratação de psicólogos.

O suicídio continua sendo uma das principais causas de morte em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em publicação deste ano. Em 2019, mais de 700 mil pessoas tiraram suas próprias vidas. E destaca que essas mortes são maiores até do que por HIV, malária ou câncer de mama ou até por guerras e homicídios. No Brasil, entre 2014 e 2019, o número de suicídios aumentou em 28%, passando de 9,7 mil para 12,4 mil. Já no Amazonas, de acordo com a Secretaria de Segurança Púbica (SSP), 124 pessoas se suicidaram em 2019, e somente no primeiro semestre de 2020, o número já passava de 60. E em Manaus, no ano de 2020, foram registradas 119 mortes por essa causa, com um aumento de 13,3% em relação ao ano de 2019, com 105 mortes. E, de janeiro a abril deste ano, 46 casos registrados.

“Ao todo, o Amazonas contabilizou 349 casos de suicídio nos últimos três anos (de 2019 a 2021), somando ainda às 79 mortes no interior. E a maioria das mortes era de homens jovens. É preciso ações efetivas urgentes do poder público, federal, estadual e municipal, começando pelas escolas, com a contratação de psicólogos e até de assistentes sociais, para tratar essa situação como caso de saúde pública”, declarou Zé Ricardo, que é autor de propostas na Câmara Federal para garantir mais psicólogos nas escolas, como ainda apoiou Emenda à Constituição do Amazonas, de autoria do deputado Luiz Castro, para garantir psicólogos e assistentes sociais nas escolas do Estado.

Ele ainda lembrou que, em pleno Setembro Amarelo, aconteceram ameaças de violência e suicídio em escolas no Amazonas. Estudantes que teriam sofrido bullying e que avisaram nas redes sociais que iriam tirar suas vidas e de outros também. “É uma questão não somente de polícia, mas de saúde pública. Estudos apontam que em mais de 90% dos pacientes que se suicidaram havia uma doença mental relacionada e que, na grande maioria dos casos, o diagnóstico associado era de depressão. Enquanto isso, vemos o Governo Federal cortando recursos na saúde, principalmente, da saúde mental. Temos que começar na escola a enfrentar esses problemas que afetam os jovens e evitar tantas mortes por suicídio”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.