Saúde

Zé Ricardo propõe pedido de urgência na Câmara Federal para a votação do Projeto que estabelece o piso salarial para profissionais da enfermagem

O Projeto de Lei no 2564/2020, que estabelece o piso salarial profissional para enfermeiros, técnicos, auxiliares de enfermagem e parteiras e regulamenta sua jornada de trabalho, já foi aprovado pelo Senado Federal na semana passada e agora está em tramitação na Câmara dos Deputados. Dada relevância e urgência dessa regulamentação pelo parlamento brasileiro, o deputado federal Zé Ricardo (PT/AM) está requerendo Regime de Urgência, que deverá ser protocolizado na Mesa Diretora da Câmara, para que a proposta entre o quanto antes na pauta de votação em plenário.

Pelo PL aprovado no Senado, o Piso Salarial proposto a esses profissionais foi reduzido e poderá ser de R$ 4.750 para Enfermeiros; R$ 3.325 para Técnicos de enfermagem; R$ 2.375 para Auxiliares de enfermagem e Parteiras e Reajuste anual pelo INPC. Uma das lutas da categoria era a Jornada de 30 Horas Semanais de Trabalho, mas que foi excluída do texto final do Projeto.

Zé Ricardo destacou que esses profissionais precisam de mais valorização. Atuaram e ainda atuam na linha de frente do combate à pandemia, evitando um verdadeiro colapso sanitário no momento mais crítico atravessado pelo país e o Amazonas, com amplo reconhecimento da população.  

“É preciso fortalecer a saúde pública, o SUS e valorizar os profissionais da enfermagem deve fazer parte desse processo. Somam cerca de 2,5 milhões de pessoas, de acordo com o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), mas estão com perdas de 11% em seus rendimentos, segundo o Dieese. Já tiveram uma primeira vitória no Senado, aprovando o Piso, apesar de ter sido menor do que o proposto. Agora, temos que cobrar a urgente votação desse PL no plenário da Câmara, lutando ainda para garantir a Jornada de 30 Horas Semanais”, declarou o deputado, que já conseguiu reunir 170 assinaturas de um total de 257 necessárias para o protocolo do requerimento e espera conseguir apoio dos demais parlamentares da Casa.

Em relação à jornada de trabalho, ele disse ainda que é inconcebível que um projeto tramite por mais de 20 anos e não seja aprovado, como no caso do PL 2295/2000. Enquanto não há regulamentação, frisou, os profissionais da enfermagem vivem jornadas de trabalho exaustivas e sem o reconhecimento devido, devido à baixa remuneração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.