Nota

SOLIDARIEDADE AO DELEGADO JOÃO TAYAH

Recebemos a denúncia de que o delegado da Polícia Civil, João Tayah, vem sofrendo perseguições dentro da própria instituição, principalmente, após ter feito críticas e denúncias contra o Governo do Estado, durante a campanha eleitoral do ano passado, quando foi candidato a vereador de Manaus, terminando como 1º suplente pelo Partido dos Trabalhadores.

Durante sua licença eleitoral, João Tayah foi alvo de quatro sindicâncias, uma para cada crítica que fez ao Governo Estadual. Logo ao final da campanha, foi surpreendido por uma nova decisão da Polícia Civil, determinando a sua remoção para o Município de São Paulo de Olivença, no Alto Solimões. Situação que foi revertida por meio de mandado de segurança e após várias manifestações de apoio ao delegado, que permaneceu atuando em Manaus.

Agora, outra denúncia de perseguição em curso. No último dia 30 de abril, foi publicada no Diário Oficial do Estado Portaria da Delegacia Geral promovendo todos os delegados de polícia que ingressaram na instituição em 2014, da 3ª para a 2ª classe na carreira. Somente o delegado João Tayah, que também ingressou na carreira nesse mesmo período, ficou de fora da promoção.

Causa estranheza os fatos relatados pela denúncia, e devem ser apurados pelo Governo do Estado. Não se pode impedir ou punir um servidor público de fazer críticas, ainda mais quando feitas por um especialista na área da segurança pública. Afinal, temos vários profissionais da segurança e que em muito podem contribuir com sugestões, opiniões e críticas sobre o sistema de segurança pública. Que esses profissionais tenham a liberdade de expressão garantida, dentro dos preceitos legais e mantendo a efetiva atuação da polícia, mas que seja a serviço da população, e não dos governantes.

Nossa solidariedade ao delegado João Tayah.

Zé Ricardo
Deputado federal (PT/AM)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.